Autor CCDIBC

porCCDIBC

Construção do sistema econômico moderno vai dirigir a China rumo ao desenvolvimento econômico estável, saudável e sustentável

O relatório do 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCCh) propôs definitivamente pela primeira vez construir um sistema econômico moderno na direção do desenvolvimento do país. O relatório ressalta que se deve aprofundar a reforma estrutural no lado da oferta, acelerar a construção de um país inovador, pôr em prática a estratégia de revitalização rural e implementar a estratégia de desenvolvimento das regiões de forma coordenada, além de acelerar o aprimoramento do sistema da economia de mercado socialista e promover um novo modelo de abertura moderna. Os representantes do 19º Congresso Nacional do PCCh consideram que a construção do sistema econômico moderno vai dirigir o desenvolvimento econômico estável, saudável e sustentável da China.

O relatório coloca a reforma estrutural no lado da oferta como a prioridade na construção do sistema econômico moderno da China, e propôs que se deve acelerar o desenvolvimento da indústria de manufatura avançada e impulsionar a integração profunda entre a internet, megadata, inteligência artificial e economia real. O representante do 19º Congresso Nacional e responsável do Centro Nacional de Supercomputação em Tianjing, Meng Xiangfen, deu sua opinião.

“Quando nós lançamos os estudos relacionados à nova geração de supercomputadores, que têm capacidade para realizar bilhões de operações por segundo, estudamos como estabelecer uma plataforma de integração entre supercomputador, megadata e inteligência artificial. Ao mesmo tempo, realizamos nessa plataforma a cooperação com algumas áreas tradicionais, como siderurgia e mineração, para que seja construída uma plataforma de megadata relacionada com essas áreas.”

Os camponeses de zonas ruais são parte importante do processo de governança do PCCh. O 19º Congresso Nacional do PCCh coloca a estratégia de revitalização rural como tema importante na construção do sistema econômico moderno do país. A representante do 19º Congresso Nacional do PCCh e secretária do Comitê do Partido no povoado de Beidouxi, distrito de Xupu, província de Hunan, Liang Jinhua, que trabalha em uma zona montanhosa remota, afirmou estar muito excitada quanto à estratégica de revitalização rural.

“Graças à implementação dessa estratégia, a nossa aldeia deve ser construída como um local que reúne indústrias prósperas, meio ambiente habitável, fisionomia rural civilizada, administração eficaz e vida rica. Essa meta, de fato, é o desejo dos moradores locais e também é o sonho que queremos concretizar.”

porCCDIBC

Uma nova China, uma nova Câmara

 

 

Fabio Hu
Empresário, Presidente da Câmara de Comércio de Desenvolvimento Brasil-China

O Brasil tem uma relação com a China que muitos brasileiros desconhecem. Muitos pensam ainda no Brasil que a China não é um bom parceiro e que o Brasil compra produtos de baixa qualidade e vende soja e minério de ferro.

Muito deste pensamento decorre de uma realidade nacional, que não tem nada a ver com a China, ou com qualquer país que tenha negócios com o Brasil.

O Brasil vende seus produtos e os países compram. É uma máxima comercial milenar.

Poucos brasileiros sabem que as relações Brasil-China são boas para ambos. Vamos imaginar quem no mundo poderia absorver as vendas do Brasil em minério de soja, por exemplo? Quantos empregos geram esta cadeia produtiva? O que elas representam para a balança de pagamento?

A China é a maior compradora e investidora do Brasil, na atualidade. E já atua no Brasil com várias de suas empresas, em vários setores, gerando emprego aqui e mais renda para o país. E não se limita a soja e minério. Há muitas parcerias tecnológicas.

Por isso um desafio prioritário é aproximar mais ainda os brasileiros e chineses. E para esta tarefa é necessária uma nova postura no relacionamento entre os dois países.

Dessa forma, a Câmara de Comércio de Desenvolvimento Internacional Brasil-China (CCDIBC), da qual sou o presidente, e que atua desde 2002, com vários serviços prestados para o desenvolvimento dos negócios, entra numa nova fase e planejamento.

Nosso objetivo é criar um grupo forte de empresas dos dois países, com foco claro em projetos. Em auxiliar nas tratativas para novos negócios.

Nossa nova missão:

Promover uma Nova Rota Brasil-China com foco na inovação e na tecnologia para o desenvolvimento mútuo, geração de emprego e renda. E na aproximação das culturas e de seus povos. Buscar intercâmbios com base em projetos e resultados concretos. Nas esferas públicas e privadas. Ser uma nova Estrada, dentro de um novo Cinturão que engloba uma nova estrutura de progresso, crescimento e desenvolvimento”.

Nossa visão:

O Brasil e a China são parceiros estratégicos e possuem complementariedades nas suas relações comerciais e culturais. Podem e devem aumentar essa aproximação para o bem de seus povos”.

Nossos valores:

Criar um ambiente de negócios que tenha como premissas a sustentabilidade, a atenção para o meio ambiente, a troca de experiências, a parceria mútua, a geração de resultados práticos, a consolidação de uma nova forma de desenvolvimento, com bons resultados para ambos, dentro de um contexto de inovação e empreendedorismo, com planejamento e metas.”

Com esta nova Missão, novos Valores e Visão, a CCDIBC inaugura esta nova fase, pois tem claro que a conjunta favorece um novo patamar para as relações Brasil-China.

Nosso objetivo é envolver estes parceiros e dar a estrutura necessária para que esse patamar seja alcançado.

Então convido a todos os empresários, as autoridades dos dois países para participar desta nova era e rota dos negócios.

Viva o Brasil! Viva a China!

 

 

Empresário, Presidente da Câmara de Comércio de Desenvolvimento Internacional Brasil-China

Empresário, Presidente da Câmara de Comércio de Desenvolvimento Internacional Brasil-China

porCCDIBC

Representantes participantes do 19º Congresso Nacional do PCCh chegam a Beijing sucessivamente

Será inaugurado amanhã (18), em Beijing, o 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCCh). Nos últimos dias, os representantes fora de Beijing têm chegado à capital, sucessivamente, para participar do Congresso. Os repórteres da Rádio Internacional da China enviaram noticiários sobre a situação concreta.

Às 11h na manhã do dia 15, a delegação proveniente da província de Shanxi chegou à Estação Ferroviária do Oeste de Beijing. A representante e vice-diretora do departamento de ensino e investigação da Quinta Escola Secundária da cidade de Datong, província de Shanxi, Xu Ye, disse ao repórter que ela vem participar do Congresso com as alegrias dos estudantes e as importantes incumbências dos professores. Segundo ela:

“Estou muito honrada e queria levar os pensamentos e as esperanças do povo para o Congresso, assim como os bons resultados obtidos nos últimos anos para compartilhar com todos.”

O representante e secretário do Comitê do Partido do Departamento de Ferrovias de Taiyuan, província de Shanxi, Jiang Tao, afirmou:

“Desde o 18º Congresso Nacional do PCCh, havia recebido grandes realizações no crescimento do trem da alta velocidade e da rede ferroviária e no impulso das reformas das ferrovias. Aproveitaremos a ocasião do o 19º Congresso Nacional do PCCh, melhorando o nosso trabalho na ferrovia.”

Além da província de Shanxi, mais de 10 delegações da Mongólia Interior, Xizang, Qinghai, Xinjiang, Guizhou, Fujian, Henan e Anhui também chegaram a Beijing no dia 15.

Na tarde de ontem (16), as delegações de Shanghai e de Jiangsu chegaram à Estação Ferroviária do Sul de Beijing. O representante e motorista de guindaste do porto das águas profundas de Yangshan, do SIPG de Shanghai, Zhang Yan, está cheio de expectativa para a realização desse Congresso. Ele bateu 4 vezes recordes mundiais sobre a eficiência da operação única de guindaste dos contentores e mantém o seu registro. Ele está disposto a treinar mais talentos no futuro. Ele disse:

“Acho que a nossa vida será mais bonita nos próximos cinco anos. Entretanto, como um membro do Grupo, vou concentrar no trabalho do treinamento para cultivar mais jovens talentosos, até criar o próximo motorista que pode bater o recorde mundial. Assim, a partir do meu cargo, posso fazer mais contribuições para o desenvolvimento da indústria dos contentores.”

O representante do Congresso, presidente e secretário do Comitê do Partido da empresa de Jiangsu Yanghe Distillery Co., Ltd, Wang Yao, afirmou:

“Nós não frustraremos a grande confiança do povo, e vamos cumprir os nossos deveres e responsabilidades, esforçaremos conjunto, para concretizar o sonho chinês da grande revitalização da nação chinesa.”

Antes de partir para Beijing, os representantes foram às entidades de nível básico para escutar completamente as opiniões dos membros do Partido e da massa.

Tradução: Luana Xing

Revisão: Diego Goulart

porCCDIBC

Macau realizará Fórum de Comércio e Investimento Angola-Guangdong-Macau

A primeira atividade de promoção, Sessão de Promoção do Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China–Países de Língua Portuguesa, foi realizada ontem (12), em Macau. Participaram do evento mais de 120 pessoas de departamentos governamentais, entidades industriais e comerciais e público geral.

Na ocasião, os representantes do fundo apresentaram os objetivos dos seus serviços, padrão para os investimentos, métodos de investimento, procedimento de aplicação e os documentos e dados necessários. O evento vai melhorar o conhecimento sobre o fundo do circuito industrial e comercial e do público de Macau. Também irá promover as cooperações bilaterais, entre a China e os países lusófonos, e a concretização das medidas do governo central de apoiar os desenvolvimentos de Macau.

porCCDIBC

Encerrada a 7ª Sessão Plenária do 18º Comitê Central do PCCh

A 7ª Sessão Plenária do 18º Comitê Central do Partido Comuista da China (PCCh) foi encerrada hoje (14) em Beijing. Segundo o comunicado da sessão, o 19º Congresso Nacional do PCCh será aberto em 18 de outubro de 2017.

Participantes da sessão plenária ouviram o relatório de trabalho feito por Xi Jinping em nome do Birô Político do Comitê Central do PCCh. Discutiram e aprovaram o relatório do 18º Comitê Central do PCCh e o relatório de trabalho da sua Comissão da Inspeção Disciplinar, apresentados ao 19º Congresso Nacional do Partido, e discutiram e aprovaram a emenda dos Estatutos do Partido. Os três documentos serão deliberados no 19º Congresso Nacional do Partido.

Tradução: Florbela Guo

Revisão: Layanna Azevedo

porCCDIBC

6º Fórum de Economia do Turismo Global é realizado em Macau

O 6º Fórum de Economia do Turismo Global foi inaugurado ontem (16) em Macau. Para responder às iniciativas de “Um Cinturão e Uma Rota” e “cooperação 16+1” com os países da Europa Central e Oriental, o fórum reuniu especialistas e acadêmicos desses 16 países, a fim de explorar a cooperação e o desenvolvimento turístico mutuamente benéfico. O vice presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPCh), He Houhua, e o secretário-geral da Organização Mundial de Turismo, Taleb Rifai, participaram do evento.

Ao proferiu seu discurso, He Houhua disse que cada fórum reuniu com sucesso a elite da área de turismo global, que deu conselhos e sugestões para promover o desenvolvimento saudável e sustentável da economia mundial do turismo. Depois de anos de esforços, o fórum obteve ampla atenção em todo o mundo, e alto reconhecimento e apoio do governo central.

Segundo Taleb Rifai, é muito encorajador ver que Macau se tornou um líder mundial em turismo, e que o fórum se tornou uma voz especial nesta área. O fórum nos lembrou que o crescimento econômico de qualquer país e comunidade deve se fortalecer mutuamente com o desenvolvimento sustentável, o bem-estar das pessoas e a melhor compreensão mútua entre os povos dos diferentes países.

Tradução: Cecília Ma

Revisão: Layanna Azevedo

porCCDIBC

Hong Kong volta a ser considerada economia mais liberal do mundo

O Governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK) comemorou ontem (28) a nova classificação da metrópole como a economia mais liberal do mundo. A informação consta no último relatório do Instituto Fraser, que classifica Hong Kong como a economia com a melhor “supervisão” e a segunda “liberdade de comércio internacional” em todo o mundo.

Segundo um porta-voz do governo de Hong Kong, a classificação revela o reconhecimento dos esforços da região em manter a liberdade econômica e criar um excelente ambiente de negócios. Em um mundo altamente competitivo, o governo da região sustenta o princípio da economia livre, que resulta na alta competitividade da região.

De acordo com o porta-voz, o governo local vai consolidar as vantagens institucionais de Hong Kong. Entre elas, um ambiente de negócios e comércio livre e aberto, a tradição de direito e independência judicial, além de um governo eficiente. O objetivo consiste em manter o sólido crescimento econômico da região.

porCCDIBC

China e UEE concluem negociações sobre acordo de cooperação econômica e comercial

A China e a União Econômica Euroasiática (UEE) concluíram importantes negociações envolvendo um acordo de cooperação econômica e comercial, declarou no domingo o Ministério do Comércio da China.
O ministro da pasta, Zhong Shan, assinou uma declaração sobre a conclusão formal das negociações com a ministra do Comércio da UEE, Veronika Nikishina, em Hangzhou, na Província de Zhejiang, no leste da China.
Este é o primeiro acordo institucional importante no âmbito econômico e comercial alcançado entre a China e a UEE, segundo a declaração.
Também é um importante resultado para alinhar a Iniciativa do Cinturão Econômico da Rota da Seda da China com a UEE.
O acordo é muito importante tanto para a China como para os membros da UEE. Ele ajudará a reduzir as barreiras não comerciais, facilitará o comércio, criará um entorno favorável ao desenvolvimento industrial, promoverá a Iniciativa do Cinturão e Rota e impulsionará o desenvolvimento dos laços econômicos entre a China e a UEE.
As negociações começaram oficialmente em 25 de junho de 2016, abordando dez capítulos, incluindo procedimentos alfandegários, facilitação do comércio, direitos de propriedade intelectual, cooperação, compras públicas e comércio eletrônico. Fim

porCCDIBC

Chineses em todo o país celebram o 68° aniversário da República

O dia 1º de outubro deste ano marca o 68° aniversário da fundação da República Popular da China. O feriado do Dia Nacional desencadeou celebrações nos últimos dias em cidades de todo o país, período conhecido como a Semana Dourada na China. Este ano, os chineses celebrarão no dia 4 de outubro a Festa de Meio Outono, uma das mais tradicionais cerimônias familiares. Por isso, o feriado se prolonga durante oito dias. Muitas pessoas aproveitam as férias para viajar ou reunir-se com a família.

Na manhã de ontem, foi realizada em atmosfera solene uma cerimônia de hasteamento da bandeira nacional na Praça Tiananmen, em Beijing. Mais de 100 mil pessoas das diferentes regiões do país assistiram à cerimônia na Praça da Paz Celestial para celebrar o aniversário da pátria.

O Partido Comunista da China (PCCh) convocou seu primeiro Congresso em julho de 1921, em Shanghai. Por ocasião do Dia Nacional, uma cerimônia de hasteamento da bandeira também foi realizada no lugar da reunião.

As diversas províncias e regiões da China também realizaram uma série de atividades culturais para celebrar o 68° aniversário de fundação da República Popular da China. Crianças em escolas primárias e jardins-de-infância expressaram seu amor pelo país ao participar de performances artísticas. Em Fuzhou, capital da província de Fujian, sudeste da China, rostos alegres dos cidadãos foram exibidos na tela do LED em uma grande praça.

Várias universidades promoveram corridas nos campus, sob o tema do Dia Nacional. Shows de luz também foram projetados nos edifícios mais conhecidos de Beijing, Guangzhou, Shanghai, Xi’an e outras grandes cidades do país. Uma série de atividades folclóricas em parques também atraiu a atenção dos turistas.

A Semana Dourada representa sempre um boom de turismo e visita aos familiares todos os anos. De acordo com as estatísticas da Administração Estatal de Turismo da China, o número de turistas atingirá 710 milhões durante o feriado de oito dias, criando uma receita de 590 bilhões de yuans. A cifra é cerca de 10% maior que a verificada no mesmo período do ano passado. Segundo a previsão da Academia de Turismo da China, mais de 6 milhões de chineses viajarão para o exterior durante o feriado.

A Companhia de Ferrovias da China também prevê um novo recorde de passageiros. Quase 15 milhões de bilhetes de trem já foram vendidos. A empresa acrescentou 569 trens em todo o país à sua rede ferroviária para atender à demanda no primeiro dos oitos dias de feriado do Dia Nacional e do Festival de Meio Outono. No último sábado, a rede ferroviária transportou 12,52 milhões de pessoas em todo o país, um aumento anual de 9,8%. A empresa prevê que 130 milhões de bilhetes sejam vendidos nos 11 dias imediatamente após o dia 28 de setembro.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Rafael Fontana