Notícias

porCCDIBC

Rússia e China ameaçam liderança dos EUA no espaço

Vice-presidente norte-americano, Mike Pence, acredita que a Rússia e China são ameaça à liderança dos EUA na exploração espacial.

“Os Estados Unidos pagam para Rússia mais de

76 milhões de dólares (cerca de 228 milhões de reais) pelo transporte de cada astronauta norte-americano para Estação Espacial Internacional, porque não temos veículo capaz de realizar esta função. As forças especiais dizem que a Rússia e a China estão elaborando um grande leque de tecnologias antissatélite que representam ameaça à efetividade do nosso exército. São apenas dois exemplos do abandono da liderança dos EUA no espaço”, escreve Mike Pence em artigo para Wall Street Jornal.

O artigo coincide com a primeira reunião do Conselho Espacial norte-americano, cujo presidente será Mike Pence e tem o título Os EUA vão voltar à Lua e vai se mover para frente.

Inauguração dos exercícios táticos conjuntos das forças especiais da Guarda Nacional russa e da Polícia Armada Popular chinesa “Cooperação-2016”

Mídia: Rússia e China matam Nova Ordem Mundial dos EUA

Em seu artigo, o vice-presidente pede ações que impossibilitariam o atraso de Washington em comparação com os concorrentes nas elaborações espaciais. Para realizar tal tarefa, o Conselho deverá restaurar trabalhos que foram suspendidos por 25 anos. Pence conta que o órgão vá ajudar a política dos EUA a atingir mais harmonia e coerência na esfera espacial.

Pence também falou sobre o programa dos EUA na exploração do espaço. Ele prevê o lançamento de astronautas para fora da órbita terrestre, primeiramente para a Lua, e depois para Marte, tal como a organização de voos comerciais para a órbita terrestre. Além disso, planeja-se aperfeiçoar as tecnologias de defesa para enfrentar ciberataques.
porCCDIBC

Exportações para China impulsionam balança comercial

Parceiro comercial de longa data, a China se firmou como o mais importante mercado para produtos brasileiros, e seu interesse pelas matérias-primas brasileiras possui papel determinante para a balança comercial do Brasil.

Neste ano, o saldo comercial do País deve superar a barreira dos US$ 60 bilhões, sendo que, até setembro, o resultado entre as exportações e importações apenas com os chineses soma US$ 18,2 bilhões – ao menos 30% desse total.

Produto mais vendido pelo Brasil, a soja triturada tem na China seu principal comprador: 78% da nossa soja triturada é exportada aos chineses, US$ 18 bilhões dos cerca de US$ 23 bilhões exportados no total em 2017.

É mais um exemplo da importância da China na balança comercial brasileira. A China figura tanto entre os nossos principais compradores, como nossos principais importadores. Entre os produtos mais comprados estão a soja, o minério de ferro, petróleo em bruto e a celulose.

Por outro lado, somos dependentes de produtos essencialmente ligados à tecnologia, como circuitos impressos e peças de telefonia, partes de aparelhos receptores e transmissores, além de outros produtos manufaturados.

Desempenho por bloco

A importância comercial da China também supera o fluxo de comércio com importantes blocos comerciais, como é o caso da União Europeia.

De janeiro a setembro, o saldo comercial com os europeus foi de US$ 2,04 bilhões devido, principalmente, às embarcações de farelo de soja, minério de ferro, soja triturada e café cru.

No caso do bloco de países do sudeste asiático, o que não inclui a China, o saldo comércio foi de US$ 3,06 bilhões no mesmo período e, com o Mercosul, o fluxo sobe um pouco, mas ainda longe do desempenho dos chineses: US$ 7,7 bilhões.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do MDIC

 

De janeiro a setembro, saldo comercial com a China somou US$ 18,2 bilhões

porCCDIBC

Brasil facilitará vistos de turistas chineses

O Ministério do Turismo do Brasil anunciou recentemente que irá simplificar os documentos para obtenção de visto por parte de cidadãos chineses, visando atrair um maior número de turistas.

De acordo com as alterações previstas, os chineses poderão passar a obter vistos válidos até 5 anos com entradas múltiplas e com período de estadia de 90 dias, com possibilidade de renovação por até outros 90 dias, a cada 12 meses. A nova política entrará em vigor a partir do primeiro dia primeiro de outubro deste ano.

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, disse que o governo brasileiro pretende atingir a meta prevista de atrair 12 milhões de visitantes vindos do exterior até 2022.

“Este é o horizonte que buscamos alcançar nos próximos anos. O plano Brasil Mais Turismo prevê a facilitação de vistos, justamente para aumentar este fluxo de turistas. O Brasil é o primeiro país em atrativos naturais, dito pelo Fórum Econômico Mundial este ano, o oitavo em recursos culturais, mas não recebe o número de turistas compatível com este potencial”, afirmou o ministro.

Em 2016, mais de 130 milhões de chineses viajaram pelo mundo, porém pouco mais de 50 mil escolheram o Brasil como destino. A Organização Mundial de Turismo (OMT) aponta que a facilitação na emissão de vistos é uma importante iniciativa para fortalecer o setor. “A facilitação de vistos é uma das nossas prioridades porque temos estudos que comprovam que através da facilitação de vistos há mais turistas, mais receitas e empregos”, defendeu Sandra Carvao, diretora de comunicação da OMT.

Além disso, 361 agências turísticas brasileiras tinham obtido permissão do governo chinês para receber turistas chineses.

porCCDIBC

O Presidente da China Xi Jinping conversa com presidente do Brasil Michel Temer

Na tarde de hoje (1), o presidente chinês, Xi Jinping, realizou uma cerimônia de boas-vindas recebendo o presidente da República Federal do Brasil, Michel Temer, na praça do Grande Palácio do Povo. Ele está em visita de Estado à China a convite do líder chinês. O presidente brasileiro participará da Cúpula do BRICS, em Xiamen, e do Diálogo dos Mercados Emergentes e Países em Desenvolvimento.

Após a cerimônia, Xi Jinping se reuniu com Temer no Grande Palácio do Povo. Os líderes dos dois países concordam em aprofundar a amizade tradicional sino-brasileira, impulsionando a parceria estratégica global a obter um maior desenvolvimento.

Xi Jinping afirmou que a China e o Brasil são países importantes dos mercados emergentes e que as relações sino-brasileiras estão maduras e estáveis, entre grandes países em desenvolvimento. No ano passado, as cooperações sino-brasileiras tiveram avanços na estabilidade. A “troika” é formada por comércio, investimento e finanças que se desenvolvem conjuntamente.

Ele apontou que a China está disposta a se esforçar com o Brasil para abrir uma segunda “década de ouro” para o BRICS. Xi Jinping salientou que a China está comprometida com a construção de uma comunidade de destino comum entre a China e a América Latina.

Temer, por sua vez, disse que o Brasil valoriza altamente a parceria estratégica global entre os dois países. O Brasil está disposto a fortalecer as cooperações de benefícios mútuos nas áreas de comércio, investimento, finanças e agricultura, no processo do desenvolvimento da reforma. O Brasil apoia com todo seu esforço para que a China realize com sucesso a Cúpula do BRICS, em Xiamen, desejando impulsionar a unidade e a cooperação entre os países do BRICS e em desenvolvimento.

Tradução: Luana Xing

Revisão: Diego Goulart