A 6ª reunião de chefes de governo da China e dos países da ECO busca novo crescimento pela cooperação “16+1”

porCCDIBC

A 6ª reunião de chefes de governo da China e dos países da ECO busca novo crescimento pela cooperação “16+1”

A 6ª reunião de chefes de governo da China e dos países da Europa Central e Oriental (ECO) foi realizada nesta segunda-feira (27), em Budapeste, Hungria. O encontro coincide com o 5º aniversário do estabelecimento do mecanismo de cooperação entre a China e os países da ECO. Com base nas experiências cooperativas durante os cinco anos, os países planejam o desenho técnico das colaborações da próxima etapa, concordando com o desempenho do impulso da plataforma da “cooperação 16+1”, desta forma, explorando novos potenciais e concretizando ganhos mútuos. Na ocasião, chegaram ao consenso sobre a construção do Cinturão e Rota e o reforço nas colaborações financeiras.

Embora o comércio global tenha tido um declínio nos últimos cinco anos, o volume comercial entre a China e os países da ECO tem obtido um crescimento de dígito duplo, atingindo aproximadamente US$ 60 bilhões. O investimento da China para os países da ECO aumentou mais de duas vezes. A “cooperação 16+1” se tornou um mecanismo cooperativo inter-regional de grande importância.

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, apontou que a chave para o rápido desenvolvimento da cooperação 16+1 é aplicar o princípio de consultas com igualdade, benefício mútuo, abertura, abrangência e inovação. Ele salientou que o mecanismo é uma incubadora de cooperação inter-regional pragmática, acrescentando que ela favorece o desenvolvimento equilibrado das relações entre a China e a União Europeia. Segundo o primeiro-ministro chinês:

“As cooperações entre a China e os países da ECO beneficiam os dois lados, assim como a região e até o mundo. Essa plataforma foi criada em consonância ao contexto da globalização, a qual pode partir das próprias realidades ao máximo limite para promover a liberalização do comércio e a facilitação do investimento, impulsionando a integração da Europa.”

Na medida em que a “cooperação 16+1” é impulsionada intensamente, a construção de uma instituição de financiamento multilateral para apoiar todas as cooperações pragmáticas se tornou a demanda comum de todas as partes. O primeiro-ministro, Li Keqiang, afirmou:

“A China apoia as instituições financeiras comerciais e de desenvolvimento a fornecer financiamento para os projetos cooperativos bilaterais, as empresas de diversas áreas dos países da ECO a emitir obrigações Panda e os projetos bilaterais a iniciar negócios de financiamento com Renminbi. Estou disposto a declarar, aqui, duas novas providências. A primeira é que a comunidade bancária entre a China e os países da Europa Central e Oriental foi fundada hoje oficialmente. E, a segunda, a conclusão da configuração da segunda etapa do Fundo de cooperação do investimento entre a China e os países da ECO.”

Durante a reunião, a China propôs mais iniciativas sobre a ampliação dos contatos econômicos e comerciais, a promoção da interconectividade, o reforço da cooperação em inovação, o fortalecimento do suporte financeiro para a colaboração bilateral e o aprofundamento dos intercâmbios culturais e interpessoais.

Os 16 países da ECO estão todos ao longo do Cinturão e Rota. A Estônia,

Lituânia e Eslovênia concluíram a assinatura dos acordos relevantes ao Cinturão e Rota aproveitando a ocasião. Assim, a iniciativa realizou a cobertura completa com os 16 países da Europa Central e Oriental.

Tradução: Luana Xing

Revisão: Diego Goulart

Sobre o Autor

CCDIBC administrator

Deixe uma resposta